Páginas

terça-feira, 9 de maio de 2017

Outro lugar qualquer Guaporé Guaporé

Olá Biblio Idealistas!

Na última publicação eu falei sobre como a gente aproveitava o tempo livre durante o voluntariado na Cidade Escola Ayni para se alimentar bem com comida vegetariana. Trabalhando 4 horas por dia e com o final de semana livre, também fizemos alguns passeios e conhecemos a cidade.

Antes de continuar a leitura, escuta essa música!

Fui pra Guaporé sem saber o que fazer pra me divertir, totalmente no escuro quanto aos lugares que poderia conhecer e passeios que poderia fazer. Levei alguns livros, pensei em passar mais tempo meditando e fazer caminhadas em alguma trilha, porque trilha a gente sempre imagina que vai encontrar no interior... Faltava informação. Entendi que a cidade explora o turismo de compras de jóias e lingeries, por ser um pólo produtor, mas não tem uma exploração do turismo ecológico, que é mais a minha praia. Mas quem tem boca vai à Roma e perguntando a gente descobriu algumas coisas legais pra fazer.

O primeiro passeio que a gente fez foi no Clube Caça e Pesca. O clube é privativo para sócios, por isso tivemos de conseguir uma autorização para entrar. O lugar é lindo! Cheio de plátanos e pinheiros e o lago transmite muita paz. Fizemos um piquenique na sombra dos pinheiros, contando nossas histórias e discutindo opiniões sobre os rumos do planeta. Depois ficamos lagarteando na beira do lago, cantando e tocando o pandeiro e o violão do casal Íris e Djoe.





O segundo passeio foi na Gruta do Seminário. O lugar convidou a gente para tomar um banho na queda d'água, serenar a mente, alongar o corpo, meditar e observar a natureza. Fomos caminhando pela estrada que vai até a gruta e voltamos pela trilha que dá no antigo seminário. Pra nossa surpresa, essa trilha estava sendo usada por uma galera que descia de mountain bike e saltava nas rampas de madeira. Deu uma vontade danada de voltar com uma super bike e descer também. Com a sorte e a habilidade que eu tenho, ia quebrar só o nariz e ralar metade do corpo.



No rolê pela cidade, entrei com a Noemi na Igreja de estilo romano da ordem scalabriniana. A Igreja fica em frente à praça central e nos quarteirões em volta as pessoas se reúnem no final de semana para tomar chimarrão, socializar e desfilar seus carros em velocidade bem reduzida. O pessoal da cidade chama esse circuito em torno da Igreja de bobódromo!


Poderia ter feito mais passeios se não tivesse preenchido os finais de semana com cursos oferecidos pela Ayni. Vou falar dos cursos que eu fiz na próxima publicação. Dos lugares que quero conhecer quando voltar: o autódromo, a cachoeira Bíscaro e o Viaduto 13, em Vespasiano Corrêa.

Deixa seu comentário pra eu saber se está gostando ou se quer saber alguma coisa sobre essa experiência na Ayni. Me ajuda que eu já não sei mais o que contar rsrsrs.

Abraços carinhosos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, vamos trocar uma biblio idéia?